Blog

Pesquisar
Close this search box.

7 tendências do marketing digital para 2023 e como se beneficiar delas

Assine nossa newsletter com conteúdo exclusivo

Sumário

Quem trabalha com marketing digital sabe que tendências vem e mudam a forma como se promove produtos e serviços online.

O ano de 2023 deve trazer algumas novidades com o potencial de mudar a forma como o marketing digital é feito. Desde questões como os vídeos curtos do Tiktok ou as comunidades, cada vez mais focadas em curadoria de conteúdo, até a inteligência artificial.

Neste artigo, separamos as 7 principais tendências para 2023. O texto discute cada uma delas e apresenta uma sugestão para você sobre como adaptá-las ao seu negócio.

Vamos lá?

7 – Influencers indo além das publis

Se você prestou atenção às notícias do início deste ano, deve ter ouvido falar sobre a influenciadora Virgínia Fonseca (@virginia). 

Ela ganhou notoriedade na mídia tradicional porque a empresa dela faturou quase R$ 15 milhões em menos de 12h a partir de uma live que foi transmitida no Instagram, Youtube e TikTok. 

A WePink, criada por ela e uma amiga, é parte de uma tendência entre os influencers: a criação de empresas e produtos onde elas aproveitam da popularidade que construíram no meio digital para impulsionar essas iniciativas. 

Influencers como Camila Coutinho ou a Nath Finanças estão indo pelo mesmo caminho, dando um passo além da barreira dos tradicionais publis, os conteúdos patrocinados por grandes marcas e empresas. 

Esta é uma tendência que se iniciou há alguns anos e deve ganhar ainda mais força em 2023. Ela abre espaço, também, para empreendedores que podem ver nisso uma possibilidade de cocriar produtos e serviços com esses influenciadores. 

Como adaptar esta tendência para a minha empresa? Uma dica para você é buscar influenciadores para criar linhas de produtos ou produtos específicos em parceria com eles. Agora atenção: lembre-se sempre de criar produtos contextualizados com a audiência do influenciador.

6 – A reinvenção do formato Polishop: os live-commerces

Dependendo da sua idade, você deve se lembrar dos programas da Polishop na TV de antigamente, não é mesmo? 

Programas em que o vendedor interage diretamente com a audiência ao mostrar produtos e criar ações de descontos.

Pois é, esta modalidade de venda, considerada ultrapassada anos atrás, foi adaptada para internet e faz sucesso.

Alavancada no período da quarentena, os live commerces explodiram na China e estima-se que hoje pelo menos 90% dos chineses já fizeram compras a partir desta modalidade. 

No Brasil, esta é uma tendência que deve ganhar ainda mais relevância em 2023 ao servir como um canal de vendas online onde os consumidores podem conhecer de forma mais rápida as características do produto que querem comprar. 

Como adaptar esta tendência para a minha empresa? Crie uma agenda periódica de lives e exiba produtos específicos, aborde as funcionalidades deles e ofereça condições especiais para a compra durante a ação. 

5 – Curadoria de conteúdo e comunidades

Quem estuda marketing digital há alguns anos sabe a força que a criação das comunidades têm.

Pois é, isto não vai ser diferente em 2023, mas o que chama a atenção é que elas estão cada vez mais atreladas a curadoria de conteúdo do que a produção de conteúdo em si.

Isso porque existe na internet uma infinidade de conteúdo sobre praticamente todo tema possível. Algo tão gigantesco que torna difícil acompanhar o que é mais importante. O trabalho de separar o joio do trigo e oferecer a sua audiência aquilo que é mais relevante tem ficado cada vez mais valioso.

E usar isto é uma boa forma de cultivar uma comunidade sobre um determinado tema e fortalecer os vínculos da sua marca com a audiência que você já tem e quer atingir.

Como adaptar esta tendência para a minha empresa? Você pode criar uma newsletter ou um grupo no WhatsApp ou Telegram para fornecer conteúdos selecionados por você e que ajude nas dores do seus clientes. Agora lembre-se sempre: comunidades estão mais relacionadas às dores que seu cliente tem do que aos seu produto ou serviço em si. 

4 – Vídeos curtos estarão ainda mais fortes

A popularização do Tiktok, que aconteceu desde 2020, impulsionou uma nova forma de se comunicar online: os vídeos curtos, de edição dinâmica, legendados e rápidos tomaram conta da rede e hoje é a principal forma de produzir conteúdo. 

É possível separar a internet por fases de produção de conteúdo, que começaram com os textos de blog, seguiram com imagens estáticas e os filtros padrões do Instagram, passaram pelos carrosséis e stories e hoje estão muito ligados aos vídeos em formato de Tiktok e Reels. 

E essa tendência não dá nenhum sinal de ficar menor em 2023, ainda mais com a popularização do aplicativo chinês no Brasil.

A Meta, empresa que controla o Instagram, Facebook e WhatsApp, estima que pelo menos 50% da interação de todo usuário com a família de aplicativos em 2022 se deu por meio deste formato. 

E quanto mais pessoas acostumadas a consumir desta forma, maior vai ser a demanda por este formato de conteúdo. 

Como adaptar esta tendência para a minha empresa? Crie um calendário de conteúdo focado em vídeos curtos, criativos e originais, falando das dores da sua persona e expondo características positivas do seu produto. Lembre-se sempre de manter o bom humor. 

3 – Marketing Conversacional 

Usado por mais de 160 milhões de pessoas no Brasil, ninguém duvida que o WhatsApp é um fenômeno. E hoje a ferramenta já é utilizada tanto como um canal de vendas quanto como um canal de atendimento em tempo real para os clientes.

O ano de 2023 deve consolidar essa tendência com uma difusão ainda maior de softwares que operam como CRM de WhatsApp ou como chatbots que facilitam a interação por meio do aplicativo. 

O atendimento no WhatsApp deve ficar mais automatizado e mais profissional neste ano, com o uso por parte das empresas da ferramenta se consolidando.

Mas os que querem se diferenciar do mercado precisam pensar em ir além da funcionalidade de atendimento ao cliente e CRM.

E ir além, quando se fala em marketing conversacional, é saber quando se deve trabalhar uma interação mais humanizada e quando pensar em ações que potencializem um contato 1 a 1 com a ferramenta. 

O case de WhatsApp da Hellmann’s pode servir como inspiração. Nele, a marca disponibilizou um chef que, utilizando o aplicativo de bate papo, dava dicas de como usar os produtos da empresa em receitas do dia a dia. 

Como adaptar esta tendência para a minha empresa? Profissionalizar o uso de WhatsApp da empresa, com uma documentação sobre como utilizá-la, incluindo casos que sejam necessários uma humanização maior da interação; a adoção de softwares que usam a ferramenta como um CRM e ações inovadoras via chat.

2 – Tiktok vai continuar crescendo

Criado em 2016, o Tiktok foi uma rede social que começou a se popularizar a partir do final de 2019. Os vídeos curtos e divertidos e um algoritmo que prioriza a relevância na hora da entrega de conteúdo são algumas das razões por trás do crescimento da plataforma. 

E a febre foi tão grande que inspirou uma nova forma de produção de conteúdo online e fez a Meta se mexer e lançar o Reels no Instagram para não perder usuários. 

A rede social, que ganhou fama com as dancinhas promovidas pelos usuários, deixou de se limitar a isso e passou a ser um canal importante de produção e difusão de conteúdo. 

Tão importante que a audiência mais jovem usa mais o Tiktok para buscar informação do que o Google, por exemplo. Estima-se que até 40% da geração Z, que compreende os nascidos entre 1995 e 2010, utilizam a ferramenta como seu principal motor de busca.

Como adaptar esta tendência para a minha empresa? Comece a criar desde já uma presença na rede social, principalmente com dicas e ações que impactam o potencial cliente da sua empresa. 

1 – Inteligência artificial vai modificar a forma que fazemos marketing

ChatGPT auxiliando na preparação deste artigo

É possível que provavelmente você já tenha ouvido falar sobre o ChatGPT. Esta inteligência artificial, lançada no final de novembro de 2022, mexeu com o mercado e vai trazer uma dinâmica nova para o marketing digital neste e nos próximos anos.

Isto porque ela é capaz de gerar, a partir de alguns comandos, legendas para posts no Instagram, roteiros para vídeos online, dicas de otimização de textos para o Google, estratégias de SEO, estratégias de tráfego e muito mais. 

Esta é, possivelmente, a maior mudança do mercado desta década.

Se, em fase de testes, ele já se mostra uma ferramenta poderosa para o dia a dia de quem trabalha com marketing e programação, imagine quando a ferramenta estiver mais consolidada?

As possibilidades do ChatGPT já se mostram inovadoras para o marketing digital, pela possibilidade que abre tanto na hora de facilitar o trabalho envolvido nas tarefas do dia a dia, como no desenvolvimento de novos produtos. 

E a tecnologia fez o Google se movimentar. A gigante de buscas espera lançar, ainda no primeiro semestre deste ano, uma ferramenta de inteligência artificial semelhante ao ChatGPT e integrado totalmente com seus softwares.

Como adaptar esta tendência para a minha empresa? Comece consumindo conteúdos sobre o ChatGPT e teste a ferramenta para dar agilidade nas tarefas de marketing do dia a dia. Fique de olho nas novidades que podem vir a partir dela. 

Tendências para os próximos 3 anos (para ficar de olho)

Além das 7 tendências acima, separamos mais 3 para você ficar de olho. São possibilidades que devem se concretizar nos próximos anos:

Redes sociais descentralizadas: com a compra do Twitter pelo Elon Musk, muito se falou sobre a concentração das redes sociais em grandes empresas e como o usuário tem pouco controle sobre o conteúdo que consome. A partir deste problema, Jack Dorsey, ex-CEO do Twitter, está criando uma nova forma de interação social online a partir do Bluesky. Não deve decolar neste ano, mas é algo para ficar de olho. 

Metaverso: Muito se falou do Metaverso entre 2020 e 2022, mas pouca coisa se tornou prática no Brasil a partir dele. Acontece que o Metaverso faz parte de uma tendência digital ainda maior que é a Web3 e que deve demorar um pouco mais para se tornar factível, por razões geracionais e de difusão de uso de tecnologias como o 5G, e os óculos de realidade virtual, por exemplo. E isto deve mudar nos próximos anos.

Martech: As martechs são startups que unem a tecnologia com o marketing digital. Com a difusão da inteligência artificial a partir do ChatGPT e de softwares nocode, além do aumento de ferramentas que facilitam a automação, empresas deste gênero devem ficar mais comuns. Principalmente aquelas que consigam facilitar a rotina de marketing digital de pequenos empresários.

Compartilhe

Sobre o autor

Fábio Farias

Fábio Farias

Já criei sites em wordpress, posicionei textos em palavras chaves competitivas, rodei anúncios no Facebook Ads e Google Ads e gerenciei redes sociais de alto impacto. Jornalista e consultor de marketing digital.

Assine nossa newsletter com conteúdo exclusivo.