Blog

Pesquisar
Close this search box.

Empreendedorismo em aquicultura: Guia Completo para Iniciar a Criação de Peixes

Assine nossa newsletter com conteúdo exclusivo

Sumário

No cenário dinâmico da produção de alimentos, a aquicultura emerge como uma força crescente e sustentável no Brasil, ganhando destaque na cadeia produtiva de alimentos. O cultivo de organismos aquáticos, desde peixes a moluscos, algas e crustáceos, têm testemunhado um notável crescimento nas últimas décadas, consolidando-se como um pilar importante na geração de empregos e renda.

O interesse crescente do nosso país pela aquicultura reflete uma busca estratégica por alternativas sustentáveis na produção, impulsionada por diversos fatores econômicos, ambientais e sociais. A aquicultura contribui para a diversificação da matriz produtiva e a redução da dependência de setores tradicionais.

Com o aumento da conscientização sobre práticas sustentáveis e a busca por soluções inovadoras, a prática emerge como um setor estratégico para impulsionar a economia e promover o desenvolvimento regional. Segundo o relatório “The State of World Fisheries and Aquaculture” (FAO – Food and Agriculture Organization), a aquicultura superou a pesca como principal fonte de peixe desde os anos 1990, respondendo por cerca da metade do consumo global de peixe. Desde o final dos anos 1980, a atividade pesqueira manteve a produção estável em torno de 80 milhões.

O Rio Grande do Norte, estrategicamente situado às margens do Oceano Atlântico, destaca-se nesse contexto, como um pólo de desenvolvimento na aquicultura. As condições favoráveis – incluindo abundância de água doce, clima propício e extensas áreas agricultáveis – tornam o estado propício para esse tipo de cultivo.

Pensando em te ajudar a entender melhor esse setor em franca expansão trouxemos um guia rápido sobre o tema. Confira!

Aquicultura no Rio Grande do Norte: um mercado promissor

A aquicultura no Rio Grande do Norte emerge como um setor de investimento estratégico, com foco em crustáceos e peixes em cativeiro — apenas em 2021 foi responsável por exportar US$ 351 mil dólares, com a venda no mercado externo de 13 mil toneladas. Destacando-se por três potencialidades fundamentais, uma das principais é a abundância de recursos naturais, incluindo uma extensa costa atlântica e uma variedade de corpos d’água, proporcionando condições ideais para o cultivo diversificado de espécies.

A segunda potencialidade reside no compromisso com a tecnologia e a inovação. Práticas sustentáveis e eficientes, aliadas ao uso de monitoramento avançado, automação e manejo inovador, posicionam a aquicultura potiguar na vanguarda da produção aquícola, maximizando a eficiência e reduzindo impactos ambientais.

Além disso, a presença de parcerias estratégicas entre instituições acadêmicas, de pesquisa e empresas impulsiona a terceira potencialidade. Essa colaboração promove a constante inovação, o desenvolvimento de técnicas aprimoradas e a garantia de práticas sustentáveis, criando um ambiente propício para investimentos a longo prazo.

Principais espécies e métodos de cultivo da aquicultura no RN

No fértil cenário da aquicultura potiguar, diversas espécies de animais aquáticos são cultivadas com êxito, impulsionando o desenvolvimento sustentável do setor. Entre as principais espécies, destacam-se tilápias e camarões, escolhas estratégicas adaptadas ao clima e à geografia locais. Porém, a diversidade de espécies cultivadas e os métodos empregados revelam um setor estratégico e versátil. 

Neste contexto, destacam-se os segmentos que exploramos a seguir: 

Carcinicultura

A carcinicultura, focada no cultivo de camarão marinho, destaca-se por sua rentabilidade econômica, baixo custo de produção e altas produtividades. Nesse cenário, o cuidado ambiental é considerável, com práticas como bacias de decantação de efluentes e uso de probióticos. As etapas para iniciar esse cultivo incluem escolher o local, garantir a qualidade da água, legalizar a área, construir as estruturas necessárias, adquirir pós-larvas, realizar o povoamento, a manutenção do cultivo com base em análises técnicas, a despesca e, finalmente, a comercialização.

Ostreicultura

O cultivo de ostras, atividade econômica rentável e sustentável, destaca-se pela simplicidade dos materiais e custos reduzidos. O processo inicia-se com a escolha do local, garantindo a qualidade da água e observando o uso do espaço por outras atividades. A logística de escoamento, a legalização da área e a montagem das estruturas são fases subsequentes. O ciclo continua com a aquisição de sementes, povoamento, manutenção do cultivo, colheita e, finalmente, a comercialização.

Piscicultura

A piscicultura, focada no cultivo de peixes, destaca-se como um dos pilares econômicos do RN, aproveitando o território litorâneo e as possibilidades de criação terrestre. Espécies como tilápia e panga são cultivadas de forma sustentável, com destaque para a tilápia como protagonista. A criação é monitorada desde o início até o momento do consumo, com o uso de ferramentas e substâncias específicas. O licenciamento ambiental é necessário, sendo expedido pelo IDEMA ou Secretaria Municipal de Meio Ambiente. As fases do cultivo envolvem escolha do local, garantia da qualidade da água, logística de escoamento, legalização da área, montagem das estruturas, aquisição de alevinos, povoamento, manutenção do cultivo, despesca e comercialização.

Peixes Ornamentais

A criação de peixes ornamentais, uma subdivisão da piscicultura, evidencia-se como uma opção rentável e de pequena área de produção. No Brasil, os peixes ornamentais ocupam o 4º lugar no ranking de pets, apresentando grande potencial de mercado. A produção, comercialização e regularização do negócio são orientadas pelo Sebrae/RN, incluindo parcerias com instituições como a UFRN/EAJ e a Associação Cardume Potiguar. 

As fases do cultivo abrangem escolha do local, qualidade da água, logística de escoamento, legalização da área, montagem das estruturas, aquisição dos alevinos, povoamento, manutenção do cultivo, colheita e comercialização. Vale destacar que em todos os segmentos, o sucesso depende não apenas da escolha adequada das espécies ou das características do estado, mas também da aplicação de métodos inovadores e sustentáveis com consistência. 

As inovações tecnológicas na aquicultura potiguar

A dinâmica evolução da aquicultura no Rio Grande do Norte é notavelmente impulsionada pela colaboração entre instituições acadêmicas e empresas, estimulando avanços tecnológicos que moldam positivamente a produção local.

Essa sinergia tem resultado em inovações significativas, promovendo não apenas a eficiência operacional, mas também a sustentabilidade ambiental, dois pilares fundamentais para o setor potiguar. As tecnologias emergentes, especialmente aquelas voltadas para monitoramento, manejo e automação, têm se destacado como catalisadoras desses avanços.

Sistemas modernos de monitoramento ambiental possibilitam um controle preciso das condições nos cultivos, permitindo ajustes em tempo real para otimizar os resultados. Por sua vez, práticas inovadoras de manejo, muitas vezes impulsionadas por pesquisas acadêmicas, contribuem para o bem-estar dos organismos aquáticos, promovendo um ambiente propício ao crescimento saudável.

A automação, incorporando desde a alimentação até o controle de parâmetros críticos, desempenha um papel crucial na maximização dos recursos disponíveis. Isso não apenas eleva a eficiência produtiva, mas também reduz a intervenção humana direta, minimizando potenciais fontes de erro e melhorando a precisão dos processos.

Além disso, essas inovações têm um impacto direto na redução do impacto ambiental da aquicultura potiguar. Ao adotar tecnologias mais eficientes, as operações aquícolas conseguem otimizar o uso de recursos naturais, diminuindo a pegada ecológica do setor. A introdução de práticas sustentáveis, impulsionada por avanços tecnológicos, está alinhada com as demandas crescentes por produção responsável e ecologicamente consciente.

Suporte e treinamento para aquicultores no RN

Para empreendedores do setor aquicultor, manter-se atualizado sobre essas tendências tecnológicas é crucial. A adoção proativa dessas inovações não apenas impulsiona a competitividade no mercado, mas também contribui para a construção de uma indústria aquícola potiguar resiliente, eficiente e ambientalmente consciente.

O Sebrae-RN desempenha um papel crucial no apoio aos empreendedores da aquicultura, oferecendo cursos, manuais técnicos e consultorias especializadas. Esses recursos capacitam os empreendedores a aprimorar suas habilidades, implementar práticas inovadoras e superar desafios específicos do setor. 

Além disso, o Sebrae proporciona acesso a redes, parcerias e eventos específicos para a aquicultura, promovendo o compartilhamento de conhecimentos e oportunidades de negócios. Nosso compromisso é impulsionar o sucesso e a sustentabilidade dos negócios na aquicultura potiguar.

 → Conheça mais sobre nossas iniciativas para o setor AQUI

Compartilhe

Sobre o autor

Ana Débora

Ana Débora

Graduada em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, especialista em Gestão de Pessoas e Marketing. Atua na Unidade de Soluções e Relacionamento e é gestora das Mídias Sociais do Sebrae/RN.

Assine nossa newsletter com conteúdo exclusivo.